102 | Muita gente pergunta: “Léo, como você interpreta a Bíblia? E por que você é doidão?”

Não é de hoje que eu recebo perguntas por SMS, E-mail, Whatsapp e até ‘cara a cara’ e na maioria das vezes é a mesma pergunta:

“Léo, como você interpreta a Bíblia? E por que você é doidão”

Talvez essa pergunta seja feita pelo meu modo ‘informal’ de falar do Evangelho, pelo modo “sem papas na língua’ de propagar o Reino ou pelo ‘modo ativado dane-se”, ou seja, se gostaram da maneira expositiva característica e peculiar de como falo do Evangelho, eu ganhei leitores e seguidores, se não gostaram, ‘danem-se’…

O fato é: EU FALO DO EVANGELHO DO JEITO QUE ELE É E INTERPRETO A BÍBLIA AO PÉ DA LETRA.

Seria bom você parar e ler o meu texto https://parepenseereflita.com.br/34-ao-pe-da-letra/ e depois volte aqui e entenda a conclusão do meu raciocínio.

Agora, para que eu possa responder a pergunta “Léo, como você interpreta a Bíblia? E por que você é doidão”, eu vou ter que responder em duas partes.

A primeira:

A Teologia Sistemática e a Metodologia que eu aplico ao ler a Palavra de Deus está alicerçada em Berkhof.


TEOLOGIA SISTEMÁTICA DE LOUIS BERKHOF

Se você não o conhece ou nunca ouviu falar dele, Louis Berkhof (14 de outubro de 1873 – 18 de maio de 1957) foi um teólogo sistemático reformado cujas obras têm sido muito influentes na teologia calvinista da América do Norte, Sul e na América Latina.

Resumindo e em linhas gerais Berkhof diz em todas as suas obras e apresenta a sua Teologia Sistemática como uma  extensão da tradição teocêntrica.

Teocentrismo é a filosofia ou doutrina que considera Divino o fundamento de toda a ordem no mundo. Nesta visão, o significado e o valor das ações feitas às pessoas ou ao ambiente são atribuídas somente a divindade trina (Pai, Filho e o Espírito Santo).

Toda a iniciativa, virtude e certeza residem em Deus; tudo o que é oposto, procede da humanidade. De acordo com isto, a tarefa da vida é obedecer à autoridade divina, que é apresentada ao ser humano, de modo apropriado na Escritura.


Está clara a primeira parte da explicação?

Vamos para a segunda:


POR QUE EU SOU ‘DOIDÃO’?

Nos meus mais de 25 anos de caminhada pastoral eu percebi que os cristãos tradicionais, aqueles mais ortodoxos, os ‘almofadinhas’ não conseguem chegar perto e nem pregar o Evangelho (por que não são ouvidos) pela garotada e nem pelos maloqueiros (malucos, drogados, viciados, roqueiros e nem os ‘diferentes’), e baseado numa orientação do apóstolo Paulo eu mudei o meu jeito de pregar o Evangelho.

Reparem o que Paulo diz:

Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. - 1 Coríntios 9:22

Até de louco ele se fez para chegar nos loucos, então eu entendi que para entrar e pregar em uma favela, comunidade ou morro do Rio de Janeiro, eu precisava falar a linguagem dos ‘caras’, andar vestidos como eles (raramente eu uso terno e gravata), meti 10 tatuagens (todas frases e muitas delas exaltando a Jesus), e meti um brinco na orelha (Leia o meu texto https://parepenseereflita.com.br/53-homens-usando-brincos/) para conseguir entrar naquelas ‘tribos’ e ser aceito por eles.

Geralmente eu ouvia: “Deixa aquele pastor loucão subir, é ‘nóis'”.

Quantos e quantos traficantes aceitaram a Jesus nas minhas incursões em lugares onde pastores ‘almofadinhas’, que pregam só em seus templos com ‘poder e unção’, onde eles ‘são cheios de revelações’ somente no alto da segurança de seus púlpitos, cheios de diáconos e seguranças em volta, e somente lá pregam e gritam em seus templos com ‘autoridade e frases de efeitos’, mas são incapazes de encarar uma favela e pregar pra gente doidona, cheia de pó e armada até os dentes…

Essas pessoas das favelas também não merecem a salvação?

Sabe por que esses pastores ‘cheios de unção e revelação’ não vão?

PORQUE SÃO COVARDES.

Preferem pregar para um ‘cercadinho de apoiadores’ onde eles não correm riscos e esses mesmos covardes metem o pau em gente igual a mim:

– “Pastor de brinco? Pastor de tatuagem? Pastor que fala ‘dane-se’? Pastor que escuta rock? Esse cara não é pastor de verdade!

Mas esses que me criticam e acusam, são incapazes de pregar para um cara com um fuzil na mão.

Enquanto eles anunciam o Reino dos Céus assim:

– “O Divino amor eternal, que é um Dom celestial, quer oferecer a você o dom da vida e a experiência de viver a eternidade em Nova Jerusalém, ao lado do Deus trino“.

Caraca meu, reparem meus amigos, os caras não vão entender nada.

Aí outros iguais a mim, chegam e mandam na lata a mesma frase, mas em um contexto atualizado:

– “Se liga cara, papo reto, Deus te ama, ele te ama de graça, ele quer te dar uma nova vida maluco, Deus quer que você more com Ele lá no céu, quando você deitar na pedra de mármore, quando você passar dessa para outra, Ele quer viver pra sempre com você, sacou maluco?“.

Seja sincero e honesto com você mesmo: “Um cara maluco, doidão, chapadão, ‘nas neuroses’, que anda com loucos e que vive uma vida louca, vai ouvir e entender a primeira frase ou a segunda?

Para pregar o Evangelho você tem que se fazer de fraco e louco, fazer de ‘tudo’ para ganhar todos (orientação do Apóstolo Paulo).

O nome disso é EVANGELISMO ESTRATÉGICO e eu aprendi com o meu saudoso pastor Jôsias Amândula.

Mas é lógico, quando eu prego em um templo, eu vou à caráter (terno e gravata) e o meu linguajar é mais coloquial. Eu me adapto ao ambiente!

Mas para você ter moral para falar mal de mim, faça mais do que eu já fiz, pregue em mais favelas, morros e comunidades que eu já preguei e mostre os frutos dessas pregações ‘loucas’.

Vai lá em Cabo Frio, Rio de Janeiro, no bairro Caiçara, e pergunte a um pastor, que era traficante, quem pregou Jesus para Ele e quem o ajudou a sair das ruas?

Depois talvez você tenha moral para falar mal de mim…

Está explicado qual é a minha Teologia e Metodologia?

Léo Vilhena
Twitter: @LeoVilhena50
Twitter: @BReflita