28 | Vamos falar de ciúmes?

Na verdade qual é o significado de ciúmes?

Vamos voltar para a sala de aula…

É um substantivo masculino que significa um estado emocional complexo que envolve um sentimento penoso provocado em relação a uma pessoa de que se pretende o amor exclusivo; receio de que o ente amado dedique seu afeto a outrem; zelo; medo incontrolável de perder alguma coisa ou alguém.

Em outras palavras: Ciúmes é uma Possessividade.

Possessivo tem origem no latim possessivus, e é o que tem sentimento ou desejo de posse por alguém ou alguma coisa.

A palavra possessivo é um adjetivo masculino, como em “homem possessivo”. E também um substantivo, como em “ele é possessivo”. Os dois exemplos apresentam o mesmo sentido, apenas com construções diferentes do ponto de vista gramatical.

Possessivo é alguém que sente-se dono da outra pessoa…

Agora que deixamos a sala de aula, vamos falar do mal que o ciúme causa.

Ciúmes e possessividade podem ser ‘aceitos’ no início de um relacionamento onde tudo ‘são flores’, onde tudo é legal, onde tudo é ‘maneiro’, onde a descoberta de um novo amor traz novidades e muitas delas prazerosas… Damos risadas de tudo…

Mas, todavia, porém, entretanto, contudo, linguagens adversativas da língua portuguesa, ciúmes e possessividade são dois cânceres que destroem e matam qualquer relacionamento e amor. Nada resiste ao ciúme e a possessividade.

Eu poderia usar uns ‘500 versículos’ sobre ciúmes, mas existe um que em minha humilde opinião diz tudo a cerca deste câncer:

e o ciúme é tão inflexível
quanto a sepultura.
Cânticos 8:6

Sepultura fala e nos lembra de morte… correto?

Preciso falar mais alguma coisa?

Não me venham com esse papinho de ‘cerca Lourenço’ de que o ciúme é bom para um relacionamento ou que um ciúme ‘moderado ou fraquinho’, apimenta uma relação…

“Apimenta” tanto que destrói…

Tudo que é ‘moderado ou fraquinho’, no que tange à ciúmes e possessividade, tende a crescer como um vulcão pois trata de emoções…

Muito cuidado…

Léo Vilhena