29 | Evite a maldita ‘Presunção de um juízo’

Tem gente que nem faz ideia do que seja ‘Presunção de um juízo‘, porém muitos acabam cometendo essa maldita prática perversa, mesquinha e desumana, quase todos os dias…

Presunção é o ato de presumir, de julgar baseado em aparências, de acreditar em algo levando em conta coisas aparentes, em indícios visíveis aos olhos humanos, é algo que se tem por verdadeiro, mas ela não é.

É julgar pelas aparências…

Logo de saída o maior erro de cometer a ‘Presunção de um juízo‘ é que JESUS, um ‘ser’ que pouca gente conhece de fato e de verdade, NÃO pediu para não julgarmos uns aos outros… Não foi um pedido de Jesus:

Ele deu uma ORDEMMMMMMMMMM

Você não é juiz nem de você mesmo, como você vai julgar os outros?

Jesus NÃO pediu Ele ORDENOU.. Não é Não…

Eu particularmente tenho nojo de pessoas que vivem julgando os outros… Dessas pessoas eu me mantenho afastado sem nenhuma cerimônia.

Quando julgamos alguém, “esse vai pro céu e esse não vai, esse é crente e esse não é, essa pessoa é boa e essa não é”, quando fazemos isso estamos cometendo uma ‘Presunção de um juízo‘ e isso é pecado, isso é errado...

Ninguém, eu vou repetir para você entender, Ninguém dentro das igrejas deve ou pode julgar uns aos outros...

Eu vou precisar desenhar?

Cometer ‘Presunção de um juízo‘ é se julgar Deus e você não é Deus…

E olha o que lemos na Bíblia?

“Irmãos, não falem mal uns dos outros. Quem fala contra o seu irmão ou julga o seu irmão fala contra a Lei e a julga. Quando você julga a Lei, não a está cumprindo, mas está agindo como juiz. Há apenas um Legislador e Juiz, aquele que pode salvar e destruir. Mas quem é você para julgar o seu próximo?”
Tiago 4:11-12

“Não julguem e vocês não serão julgados. Não condenem e não serão condenados. Perdoem e serão perdoados. Deem e será dado a vocês: uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante será dada a vocês. Pois a medida que usarem também será usada para medir vocês”.
Lucas 6:37-38

 Mas quem é você para julgar o seu próximo?
Tiago 4:11-12

Está claro?

Léo Vilhena