60 | Eu achei uma foto original da Ilha de Patmos

Depois de muito procurar na internet por algum site cristão que pudesse me AUTENTICAR de que essas imagens fossem originais, agora sim, eu posso afirmar categoricamente que:


Visão do Alto da Gruta de São João, em Dodecaneso, antiga Ilha de Patmos, no Mar Egeu, Grécia

Ilha de Patmos, atual, Dodecaneso

Em cima da gruta onde João ficou refugiado foi construída A Igreja de São João ou Mosteiro de São João

Patmos (em grego: Πάτμος; romaniz.: Pátmos) é uma pequena ilha grega, de uma série de ilhas chamadas de Dodecaneso, no Egeu Meridional, situada a 55 km da costa SO da Turquia, no Mar Egeu.

Tem uma área total de 45 km² e atualmente uma população de 3.047 habitantes (2011).

Patmos é uma municipalidade integrante da unidade regional de Dodecaneso que às vezes é chamada, erroneamente, de Patmos.

A ilha é dividida em duas partes quase iguais, uma do norte e outra do sul, unidas por um istmo. A vegetação é escassa, e o relevo é formado por montes relativamente baixos, cujo ponto mais alto chama-se Profeta Elias e tem 269 m de altitude.

História

Conhecida por ser o local para onde o apóstolo João foi exilado — conforme consta na introdução do livro de Apocalipse —, Patmos foi usada como um lugar de banimento do Império Romano. Segundo uma tradição preservada por Ireneu, Eusébio, Jerônimo e outros, o exílio de João aconteceu em 91 ou 96 d.C., no décimo quarto ano do reinado de Domiciano.

O mais interessante dessa ilha é que a tradição local ainda aponta exatamente onde fica a caverna onde João teria recebido a revelação para escrever o livro.

A partir de 1522, a ilha foi, por diversas vezes, ocupada pelos turcos. Em 1912, foi capturada pelos italianos e, após a Segunda Guerra Mundial, em 1948, passou definitivamente a integrar o território grego.

Em 1999, o centro histórico Mosteiro de São João, o Teólogo e a Caverna do Apocalipse foram incluídos no Património Mundial pela UNESCO.

Léo Vilhena