69 | O real motivo do meu AVC

Eu escuto muito: “Léo por que você teve o AVC?”

É lógico que a maioria esmagadora pergunta por carinho, preocupação e cuidado, mas existem aqueles fofoqueiros que só querem saber o motivo por curiosidade.

Mas eu vou responder pela última vez e deixar clara essa situação:

Era uma noite chuvosa de uma Sexta-Feira de Setembro de 2019.

Eu estava no quarto vendo um filme e a minha ex-esposa estava na sala dando ‘mama’ para a nossa caçula com 6 meses de vida e gritou desesperadamente:

“Amor, socorro, a Beatriz desmaiou”

O que se seguiu foi uma correria contra o tempo.

Nós morávamos à cerca de três quilômetros do hospital mais próximo e a cada segundo que passava a nossa pequena Beatriz ficava mais roxinha…

Foi um desespero…

Até hoje eu não sei como não batemos com o carro, por que chovia demais em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

Eu dirigi igual a uma ‘louco’, avancei todos os sinais fechados que encontrava pela frente e a menor velocidade registrada no painel foi 84km por hora.

Enquanto eu dirigia, eu conseguia ouvir a minha ex-mulher dizer “MEU DEUS NÃO DEIXA A BIA MORRER” e a nossa filha Sarah apenas chorava…

Quando chegamos na Santa Casa de Misericórdia de Campo Grande, hospital referência em casos urgentes, um guarda despreparado, não queria deixar que eu entrasse com a Bia no colo, desmaiada, ele insistia que eu passasse pelo balcão para fazer a ficha de atendimento.

Com um soco bem forte, derrubei aquele guarda e uma enfermeira que viu a cena correu em minha direção, pegou a Bia no colo e correu para a sala vermelha pediátrica gritando: “Socorristas, criança com parada cardíaca”

Naquela ‘confusão’ eu também entrei na sala vermelha.

Ninguém percebeu a minha presença.

Eu consegui assistir 2 médicos e 3 enfermeiros fazendo massagem cardíaca na Bia por quase meia hora. Injetavam remédios em seu corpo, até que ela soluçou, espumou o leite que havia entrado em seus pulmões e voltou a respirar.

Depois ficamos sabendo que ela ‘bronco aspirou o leite materno’.

Ela foi colocada em coma por precaução, já que ela ficou mais de 45 minutos sem oxigenação no cérebro e depois de tudo isso, viram que eu estava na sala e me retiraram…

E a Bia não ficou com NENHUMA sequela neurológica.

… Acabou o drama da Bia e começou o meu.

O choque emocional de ver a sua caçula ‘morta’ e sendo ressuscitada foi demais para mim…

Enfartei, fiz um AVC isquêmico e tive muitas sequelas…

A minha esposa me deixou por que ela afirmou para familiares que não poderia cuidar dos filhos e de um ‘doente’.

Em Janeiro de 2020 fiz um Segundo AVC e fiquei em coma.

Somente agora eu estou me recuperando. Já consigo andar, mesmo mancando da perna direita, a minha voz já voltou 70% e as tonteiras tem ‘desaparecido’ gradualmente…

Mas deixa eu te contar uma coisa:

Mesmo diante de todo esse drama, eu JAMAIS reclamei com Deus e JAMAIS questionei a Ele por que todo esse drama abateu sobre nossa família.

E também não perdi o bom humor em tempo algum.

Quando acordei do coma, fiz da UTI o meu palco para um ‘stand-up’.

Virei o xodó das técnicas, enfermeiras e médicas.

Expliquei?

Léo Vilhena


Nascimento da Bia

Bia em coma

Foto recente da Bia