70 | Controle as suas emoções para não ser prisioneiro delas

Quem tem um raso conhecimento da minha trajetória pessoal e me classifica, evitei usar a palavra julgar, pelas aparentes aparências, até pode achar que eu me aprisiono com as palavras que sai da minha boca, e fazem isso, por que percebem que eu brinco bastante, mas não sabem que até para brincar em penso 500 vezes antes de abrir a boca.

Eu já disse ‘n’ vezes, até para brincar eu analiso antes de brincar, imagine então falando sério…

Por tudo isso eu vou repetir: Controle as suas emoções para não ser prisioneiro delas.

Está feliz? Não prometa nada que você não possa cumprir!

Está triste ou com raiva? Não abra a boca, por que você tem 300% de chances de falar algo que não deve.

Está emocionado? Não abra a sua boca, por que vai falar a emoção e não a razão.

Entenderam como funciona?

Se eu abrir a boca e fizer uma promessa, eu vou até as últimas consequências para fazer valer a minha palavra.

Lembram da orientação de Eclesiastes?

Deus não terá por inocente quem fizer uma promessa na presença dEle. Quebrar uma promessa feita na presença de Deus, não é uma opção, não tem atenuantes, não tem desculpas ou justificativas, quem cometer a loucura de quebrar uma promessa vai pagar um preço caro por quebrar uma promessa feita na presença dEle.

E fim de papo!

Ele é justo, você vai colher exatamente o que você plantar, por isso, torno a repetir: Controle as suas emoções para não ser prisioneiro delas, e para começar, evite abrir demasiadamente a sua boca.

Léo Vilhena